Banca de QUALIFICAÇÃO: CAREN FREITAS DE LIMA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : CAREN FREITAS DE LIMA
DATA : 21/06/2018
HORA: 09:00
LOCAL: Sala de Defesa do PPGH
TÍTULO:

Agriculturas na cidade do Rio de Janeiro: (re) produção, disputa e conflitos 


PALAVRAS-CHAVES:

Agriculturas, Rio de Janeiro, agroecologia, reprodução, disputas, conflitos


PÁGINAS: 41
RESUMO:

A presente pesquisa, buscando superar a perspectiva dicotômica entre a cidade e o campo, o urbano e o rural, compreendendo a existência de contradições entre elas, pretende analisar os conflitos de uso do solo entre a expansão do capital imobiliário e os diferentes tipos agriculturas no município do Rio de Janeiro, onde normativamente tudo é a cidade, tudo é o urbano, e que há a compreensão setorizada de que a agricultura não é uma atividade da cidade. Contudo, a agricultura é uma realidade na cidade do Rio de Janeiro. De acordo com a MASELLI (2015), há mais de 200 experiência de agricultura na cidade do Rio de Janeiro, com hortas escolares, comunitárias, institucionais, hortos ou agroflorestas, quintais urbanos, grupos de assessoria, iniciativas de consumo (feiras ecológicas, grupos de consumidores, atividades culinárias) e comunidades de agricultoras e agricultores familiares. Nesse contexto, o Estado negligencia as políticas públicas para as agricultoras e agricultores do município do Rio de Janeiro, além de não abarcar no Planejamento urbano a complexidade do espaço e seus múltiplos usos do solo sob a urbanização do capitalismo dependente, desigual e combinado, em que há a urbanização é incompleta tanto ideológica quanto física,  resistindo ruralidades. E, nessa atuação do Estado, há a ratificação da expansão do capital no território, entretanto, o território é a saída para as crises de sobreacumulação do capital, mas também é resistência porque são ali que os conflitos acontecem. E a Rede de Agricultura Urbana (Rede CAUR), a partir da agroecologia,  pauta novas formas de (re)produção de vida a partir de um movimento contra-hegemônico, lutando contra a expansão do capital no território. E, nessa luta, um caso emblemático é o caso do território de Vargem Grande, que apesar da agricultura presente no território, em uma região historicamente agrícola, confronta-se com instrumentos urbanísticos voltados à especulação imobiliária, vide o Plano Diretor e a atual Lei de Uso do Solo em pauta na câmera dos vereadores do Rio de Janeiro. 


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1767739 - ANNELISE CAETANO FRAGA FERNANDEZ
Presidente - 020.506.354-35 - CRISTHIANE OLIVEIRA DA GRAÇA AMÂNCIO - UFRRJ
Interno - 278.541.288-55 - RAQUEL PEREIRA DE SOUZA - UNICAMP
Notícia cadastrada em: 14/06/2018 09:18
SIGAA | Coordenadoria de Tecnologia da Informação e Comunicação - COTIC/UFRRJ - (21) 2681-4638 | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sig-node2.ufrrj.br.producao2i1